terça-feira, 13 de junho de 2017

O homem, esse bicho esquisito.



Que bicho é ser homem? __ Pergunto-lhes!
O de hoje não o sabe,
O de ontem não o soube,
Nada sabe o de amanhã,
No afã de criar seus mitos.
De que fonte suas façanhas,
De qual frasco seu intuito.

Se centelha do mesmo grão
Laço do mesmo nó,
Esse “bicho” em contradição.
É fuligem do mesmo pó,
Lava do mesmo vulcão.
Pedra do mesmo granito.

Diz-se: o homem é o “Rei da criação”!
Como se parte dele, o abstivesse.
Ser-se senhor da própria ação.
Escravo o é, do que lhe enriquece.     

Que coisa é ser bicho, ser humano e desumano?
Se bicho é ser feroz, jamais cruel é ser fera.
Se por fera é ser-se engano. __Desumano,
É, por prazer, torturar outro ser humano,
Matando inocentes na guerra.     

Ah, que sois bicho homem, bom Deus!
Ganindo, miando, berrando, e uivando...
Isentando-se homem, enquanto Deus.
Enquanto santo, a morrer pela língua falando...
Esse homem, bom Deus! __Esse bicho que vos fala,
sou eu!




Susana de Luiz Lopes


Nenhum comentário:

Postar um comentário