quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

O encanto das pétalas ocultas





Ali, imóvel e estendida.
A borboleta pousada em botão de flor.

Estaria morta a borboleta?
Seria perfeita a flor?

Tique - Taque, Tique - Taque,

Minha expectativa atendida
Voou a borboleta airosa!

E a flor, em seu esplendor
Eis-me, embevecida.

Emulando graça e cor, 

De níveas tonalidades, 
 Agora, rubra tangida.

Tal foi o encanto! 
Ao ver seu desabrochar...
 

Eis, que surge em seu regresso
De um intenso fervor excelso
 Saudoso sol a mirar:

Acordaste, bela rosa?
Dos verdes anos, tolhida.

Da terra, mãe caridosa,
És tu, oh mimosa!

A primaveril essência da vida.




Susana Luiz


Nenhum comentário:

Postar um comentário