domingo, 20 de setembro de 2015

Luz de pirilampos






















 

Luz dos olhos meus
Dos olhos teus
Dos olhos das crianças
E dos olhos dos poetas.

Uma luz que me acompanha em sonhos
Luz de mistérios, e de magia
De pirilampos piscando risonhos
Refulgindo ao luar poesia.

Tal qual cristais de brilhantes 
No garimpo dos rios a brilhar
Que o "poeta", busca incessante
Sob a luz do sentido, o pensar.

Lembra-me o colorido das ágatas
A vida singela dos campos
Por onde cintilam nas matas
Em fachos de luz, pirilampos.

A mina de onde vens?
Ah! Não se esgota,
E de onde brotas
Vem a eternidade.

O perene, 

Na magnitude da existência, 
A verdade.



Susana Luiz


Nenhum comentário:

Postar um comentário