quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

No não-existir-palco-principal























Todos os papéis já haviam sido distribuídos.

O cenário já estava montado


No não existir palco principal



Nos vários palcos deste mundo.


A linda loira chorava por não ter sido escolhida Miss Mundo.


O rapaz dizia ter sido injustiçado no trabalho.



A grande máquina de guerra


Fora posta em movimento.


Em algum lugar



A mãe zelosa amamentava seu filho


O pastor dispunha suas ovelhas


As aves continuavam a voar


E as plantas a brotar...




Alguém fazia amor

Alguém fazia música


As crianças brincavam


Auroras boreais se desenhavam



Outros continuavam a construir casas


Outros palcos.



Na realidade,


Todos representavam


A linda loura chorava.


O rapaz continuava injustiçado.





Susana Luiz










4 comentários:

  1. O poema é muito significativo. Revela um cenário bem cotidiano de um certo mundo. Apreciei e espero estar a frente de uma poetisa já consumada. Acho que quiseste dar um efeito, no final, como quissesses dizer "mas está tudo tão bem e previsível, onde está a guerra?, ou onde está a bagunça? ou se fosse sobre o silêncio dissesses, cadê o barulho?". Como uma inconformação ou um chamado para prestarmos atenção na imperfeição que somos e na maneira surreal e descontínua em que viceja a espécie humana. Ou para pregar o caos, mesmo. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como dizia, Mário Quintana. A poesia é um fato consumado. Um poema tanto mais belo é quanto mais parecido for com o cavalo. Por não ter nada de mais nem nada de menos é que o cavalo é o mais belo ser da Criação.

      Excluir
  2. Cleon Ruiz de Albuquerque18 de dezembro de 2013 10:53

    Boa essa sua poesia. Gostei. Desculpe se eu disser que não entendi o cadê a guerra. Havia uma guerra que não está descrita anteriormente ou esse poema é sequência de outro onde é mencionado guerra? Ou é um efeito que, sério, para mim só fez esse efeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cleon. A proposta através deste poema, é de dizer que existem vários palcos neste mundo e todos são importantes, até o palco da guerra, como acontecimentos e realidades boas ou más. No entanto, inadvertidamente, foi omitida uma estrofe onde se fazia menção a uma guerra. E agora o poema já pode ser visto em toda a sua totalidade. Fico feliz que tenha apreciado e agradeço por tua observação. Um abraço!




      Excluir